Todos os anos nossa agenda se comporta quase que da mesma forma: virada de ano, carnaval e… a famosa Declaração de Imposto de Renda Pessoa Física (DIRPF 2018) não é diferente. Entender quem deve declarar Imposto de Renda Pessoa Física, saber quais os limites de renda que ensejam seu recolhimento e como se preparar para o envio são pontos fundamentais para evitar futuros problemas com o fisco federal

Entenda o que é o Imposto de Renda

O Imposto de Renda é um tributo que incide sobre os rendimentos auferidos independentemente de sua procedência, e, como todos os outros tributos, serve para financiar as atividades do Estado na promoção de suas obrigações para com a sociedade (saúde, educação, segurança, dentre outros).

Ele incide sobre rendimentos auferidos e é pago por pessoas físicas e jurídicas.

Quem deve declarar imposto de renda?

Todos que auferiram renda ou obtiveram quantias de dinheiro.

Mesmo que a pessoa não seja assalariada, caso tenha tido no exercício anterior algum tipo de recebimento que ultrapassem os limites legalmente estabelecido ou tenha se enquadrado em determinadas situações estabelecidas em lei, deverá fazer a Declaração de Imposto de Renda Pessoa Física.

Abaixo seguem:

  • Aqueles que receberam rendimentos tributáveis e que estão sujeitos a ajustes na declaração (como salários, ganhos de aplicações financeiras e aluguéis) cujo valor excedeu R$ 28.559,70;
  • Pessoas que obtiveram valores isentos, tributáveis, tributáveis exclusivamente na fonte ou não tributáveis que ultrapassam o limite de R$ 40.000,00;
  • Quem realizou operações na bolsa de valores, de mercadorias e futuros
  • Contribuintes com posse de terras ou imóveis cujo valor supere R$ 300.000,00.

O IRPF deve ser declarado usando programa específico disponibilizado no site da Receita Federal que, para o ano de 2018, já esta disponível a .

Quais os percentuais e limites da renda?

A tabela de cálculo do Imposto de Renda Pessoa Físicas para o ano de 2018 será a seguinte:

Tabela - Quem deve declarar imposto de renda?

Tabela Imposto de Renda

O prazo para a entrega da declaração iniciou no dia 1º de março e vai até o final de abril. Entre outros prejuízos, o não envio na data certa acarreta ao contribuinte a incidência de multa.

Lembre-se que caso deixe para última hora poderá haver dificuldades na transmissão devido à possível sobrecarga de sistema relacionada à quantidade de pessoas que deixam para fazê-la nesse período.

Não caia na malha fina da Receita Federal

Preencher a Declaração de Imposto de Renda pode não ser uma tarefa tão simples quanto se pensa decorrente dos tipos de rendimentos que devem ser informados, dos campos certos em que devem constar, e alguns outros detalhes, como as regras relacionadas casos específicos.

Qualquer erro pode prejudicar o contribuinte e trazer como consequências pagar além do devido ou a menor; e envio de informações desencontradas, fazendo com que o contribuinte caia na chamada “malha fina” da Receita Federal.

Ela consiste em um conjunto de processos realizados pelo governo de cruzamento de informações que objetivam tornar a arrecadação efetiva e se precaver contra possíveis fraudes.

Hoje em dia boa parte das informações decorrentes de transações financeiras realizadas por pessoas físicas com empresas são enviadas para o governo, exemplo disso é a DECRED (DECRED – Declaração de Operações com Cartão de Crédito) que contém dados sobre compras com cartão de crédito.

Ainda, a Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) fornece informações diretamente para o banco de dados da Receita Federal sobre notas fiscais que foram emitidas para cada CPF. Dados mandados errados podem resultar em futuras complicações.

Preencha da forma correta sua DIRPF 2018

Já diz o ditado: “quem faz errado faz duas vezes”.

O envio de informações corretas na Declaração de Imposto de Renda Pessoa Física além de evitar o retrabalho, ainda poupa de problemas com a Receita Federal, como cair na citada malha fina.

Nela não devem constar apenas os rendimentos tributáveis, mas todos aqueles exigidos pela legislação. Assim, preencher o valor certo no campo errado pode resulta no cálculo indevido do imposto.

Nos casos em que se tenha direito ao recebimento de restituições o processo pode ficar ainda mais demorado. Contar com a expertise de profissionais da área é uma estratégia inteligente que deve ser tomada por quem deve declarar imposto de renda.

Conversar com um profissional contábil sobre sua rotina financeira ajudará a saber quais são os documentos necessários e que você já precisa separar para o envio da sua Declaração de Imposto de Renda 2018.

Isso também auxilia a identificar aquilo que pode ser utilizados para abater do débito do imposto, ou que poderá ser objeto de uma futura restituição.

A Pinotti Contabilidade conta com profissionais altamente treinados para assessorar no envio da sua DIRPF 2018, com qualidade e rapidez.

Dessa forma, a DIRPF 2018 é uma obrigação anual que, embora seja simples de se realizar quando há preparação prévia, deixa-la para muito próximo da data pode causar inconvenientes. Ou seja, quem deve declarar imposto de renda deve estar atento aos seguintes pontos: converse com o seu contador sobre suas finanças; reúna e organize toda sua documentação; fique dialogue com o expert sobre dúvidas que surjam no momento do preenchimento; e leve sempre os prazos em consideração.

Não deixe sua declaração para última hora. Converse hoje mesmo com um dos nossos profissionais.